Come From Away na Broadway: vale a pena assistir?

Come From Away, musical da Broadway que conta o outro lado do 11 de setembro. Na imagem, pessoas dançam, cantam, comemoram, e um homem e uma mulher se beijam ao centro.

Um amigo meu me ligou no táxi de volta para casa após o espetáculo e disse: ‘você precisa vir para Nova York para assistir Come From Away. Ele vai te fazer rir, te fazer chorar, vai te fazer abraçar estranhos’.” – Kimberly, 58, Washington D.C. – EUA

Essa é uma história para se sentir bem, e já era hora de termos uma história desse tipo.” – Barb, 66, Toronto – Canadá.

Quando eu li sobre o show pela primeira vez, eu não quis assisti-lo porque achei que era sobre o 11 de setembro. Mas quando li as críticas sobre o espetáculo, vi que não era o foco e fiquei empolgado para assistir.” – Mitchell, 32, Nova York – EUA

Eu amei o musical! Já assisti várias peças e gostei desta particularmente porque ela te faz sentir bem e porque é uma história real, e isso não é algo fácil de encontrar.” – Judy, 63, Hartford – EUA

Schoenfeld Theatre, teatro do musical Come From Away, da Broadway (Foto: Natália Grandi)

Schoenfeld Theatre, teatro do musical Come From Away, da Broadway (Foto: Natália Grandi)

Come From Away foi o primeiro musical que eu assisti na minha última visita a Nova York. As aspas acima são as respostas que ouvi de algumas pessoas que entrevistei antes e depois da peça, perguntando o motivo pelo qual elas assistiram ao show.

Eu assisti a muitos musicais incríveis, incluindo vários clássicos da Broadway, mas nenhum deles fez com que eu me sentisse tão bem quanto este. Desde a primeira batida da música “Welcome To The Rock”, é possível sentir a conexão de vozes diferentes em perfeita harmonia, o que dá o tom do musical.

A história

O tema é absolutamente relevante para os nova-iorquinos – e perfeito para quem quer assistir a um musical que um nativo de Nova York assistiria. Come From Away fala sobre uma história não contada do 11 de setembro de 2001; sobre o lado da história que dá esperança e que restabelece a sua fé na humanidade. Confira este vídeo em que David Hein, cocriador do show, e Christopher Ashley, diretor, resumem a história:

 

Após os atentados, 38 aviões e sete mil passageiros que viajavam com destino aos Estados Unidos foram desviados para a pequena cidade de Gander, em Terra Nova (Newfoundland), e cidades ao redor. Em um dia normal, Gander recebe cerca de 6 voos. Neste dia, a população da comunidade aumentou de nove mil para cerca de 16 mil! A história mostra a apreensão dos moradores, que não estavam preparados para receber tantas pessoas, e o medo dos estrangeiros, que não estavam preparados para essa situação. Incluindo os voos originais, muitos dos passageiros estavam voando por mais de um dia, o que é contado na música “28 Hours / Wherever We Are”.

Come From Away vem do nome que os nativos de Terra Nova deram aos estrangeiros, os “que vieram de longe”. Tudo isso aconteceu antes da era dos smartphones, então a maioria dos passageiros não tinha como se comunicar com a família ou sequer saber o que estava acontecendo. Eles eram levados em ônibus e vans para abrigos, como o Salvation Army Camp e a Gander Academy, sem saber onde estavam, para onde estavam indo e quando voltariam para os EUA, já que o espaço aéreo americano estava fechado.

A mensagem

O musical conta sobre a disponibilidade dos moradores de Gander, que graças à sua empatia e a característica gentileza canadense estavam abertos a fazer o que fosse preciso para acolher os passageiros nesse momento de tensão. Moradores doaram tudo o que podiam, lojas abriram suas portas para que os voluntários pegassem bens de higiene pessoal e o que mais fosse preciso para acolher os passageiros. Eles não mediram esforços e nem carinho em cada atitude. E é por isso que a história é tão comovente!

Cena do musical Come From Away, da Broadway. O palco está iluminado em uma tonalidade de rosa, os músicos estão ao fundo, em pé em cima de cadeiras, e os atores à frente.

Além da história em si, Come From Away conta sobre as sensações de cada personagem. São várias vozes que mostram a mentalidade de culturas diferentes e como o choque cultural causa tumulto, mas como a empatia e o amor unem a todos indiscriminadamente.

A princípio, houve desconfiança com relação aos viajantes muçulmanos que estavam nos aviões. Ainda assim, os moradores se preocuparam em buscar um local silencioso para que os religiosos pudessem rezar com tranquilidade. A música “Prayer” (“Prece”) tem uma mensagem linda que eu acho que resume bem o intuito do musical. Esse é um trecho da música traduzido:

“Faça de mim um canal da sua paz
Onde houver desespero na vida
Deixe-me trazer esperança
Onde houver escuridão, apenas luz
E onde houver tristeza
Toda a alegria”

Boa parte dos passageiros não falava inglês, e mesmo assim a comunicação entre eles e os habitantes locais foi possível. Além disso, o musical fala sobre grupos que historicamente foram discriminados, como a comunidade LGBT e as mulheres, e como em um cenário de união e compreensão, as características que fazem com que nós pareçamos ser diferentes são facilmente deixadas de lado.

A música “Me and the Sky”, cantada pela personagem Beverly, conta a história real da primeira capitã americana da American Airlines. Ela fala sobre como era discriminada pelos outros capitães (todos homens) e pelas comissárias de bordo, mas como foi capaz de mudar a história para outras mulheres ao manter sua meta em mente.

Por que assistir a Come From Away?

1. Uma história para se sentir bem

O objetivo de todos é ser feliz, certo? Então nada pode ser mais certeiro na sua visita a Nova York do que assistir a um musical que vá te deixar com uma sensação de pura alegria e amor genuíno. O primeiro pesquisador sobre linguagem corporal, Albert Mehrabian, apurou que 93% da comunicação é não verbal, ou seja, a grande maioria do processo comunicativo acontece em dimensões não verbais. É por isso que todos que assistem Come From Away, independente da língua que falam, são capazes de entrar em contato com a sensação que a história passa.

O show transmite uma sensação de união que vem da confluência de todos os fatores que definem um musical. A simplicidade do cenário e dos figurinos elimina divisões ou diferenças entre personagens e cenas, dando ao espetáculo muita versatilidade. Ao mudar uma cadeira de lugar, uma cabine de avião se torna um abrigo em Gander. Ao trocar um adereço ou uma peça de roupa, um ator que interpreta um homem americano se torna um muçulmano.

Cena do musical Come From Away, da Broadway, 23 atores olham para o horizonte, em um cenário simples composto de uma mesa e cadeiras.

São 12 atores que interpretam vários papéis e 9 músicos que fazem parte da peça tanto quanto os personagens! Ao contrário de grande parte dos musicais, nos quais a orquestra fica abaixo do palco, os músicos de Come From Away ficam no próprio palco – por vezes ao fundo, e outras interagindo com os atores. Mais do que um show com uma superprodução, Come From Away é uma experiência – e é isso que vai fazer com que você se lembre dele anos após tê-lo visto na Broadway.

2. O outro lado da tragédia

Todos sabem sobre o que aconteceu em 11 de setembro. Todos que viveram naquela época lembram da sensação de medo e terror que ficou no ar. Mas nem todos sabem o outro lado da história – e que história linda! Não é bom saber que para um acontecimento tão trágico quanto esse, houve também uma quantidade gigantesca de carinho e empatia para acalmar o coração de todos? Come From Away é emocionante porque vai te fazer lembrar dessas sensações incríveis que todos nós temos dentro de nós, mas que por vezes ficam adormecidas e escondidas pelos acontecimentos do mundo.

3. Viver Nova York como um nova-iorquino

Se você quer ter uma experiência autêntica da Big Apple e quer conhecer a cidade além do que todos os turistas veem, Come From Awayn é uma opção sem igual por dois motivos principais.

Primeiro, porque é uma história tocante para os americanos. Ela vai te fazer compreender o que era ser um americano durante o 11 de setembro, e vai te proporcionar um contato maior com a cultura local. Além do mais, você, brasileiro que vai a Nova York, também came from away.

Segundo, porque é uma produção menor e mais intimista, algo que um morador local veria. Por que? Bem, um show assim tem suas vantagens. Shows muito conhecidos e muito grandes acabam ficando bem lotados, tendo inclusive várias crianças pequenas na platéia (o que às vezes pode incomodar o público, já que por vezes elas começam a chorar ou se inquietar com o espetáculo. Acontece.).

4. Um musical premiado

Da esquerda para a direita, David Hein e Irene Sankoff, cocriadores de Come From Away, e Ian Eisendrath e David Lai, produtores do álbum nos Grammy Awards.

Da esquerda para a direita, David Hein e Irene Sankoff, cocriadores de Come From Away, e Ian Eisendrath e David Lai, produtores do álbum nos Grammy Awards.

Em cartaz na Broadway há apenas um ano, Come From Away já foi muito reconhecido pelas premiações americanas. Ele foi nominado para 7 Tony Awards, incluindo o prêmio de Melhor Musical, vencendo o Tony de Melhor Direção de Musical. Foi também nominado para o Grammy de Melhor Álbum de Teatro Musical.

5. Uma história real

Além de a história ser real, todos os personagens são baseados em pessoas reais. Irene Sankoff e David Hein, criadores do musical, entrevistaram várias pessoas de Terra Nova e também passageiros dos 38 voos, o que lhes deu material para construir os personagens. Muitos personagens têm o primeiro nome de uma pessoa e o sobrenome de outra, ambas pessoas reais que viveram a história.

Para quem o show é recomendado?

O musical gira em torno de um tema bastante sensível, mas o 11 de setembro é apenas o plano de fundo dessa história que deixa o coração quentinho. Ainda assim, é um musical que pode não ser apropriado para todas as crianças. Ao se tratar de adultos, é um musical que eu recomendo para todos, independente de onde você veio! Inclusive, dentro do teatro há um painel com um mapa mundi onde os espectadores colocam um alfinete com seu nome no seu local de origem (foto abaixo). Dá pra ver que vários brasileiros já assistiram! Afinal, o musical fala sobre quebrar barreiras culturais, então nada mais apropriado, né?

A foto mostra um mapa mundi onde os espectadores de Come From Away podem colocar alfinetes no seu local de origem. O foco é a América do Sul, em especial o Brasil. (Foto: Natália Grandi)

Mapa mundi do Schoenfeld Theatre, onde os espectadores de Come From Away podem colocar alfinetes no seu local de origem (Foto: Natália Grandi)

E agora a minha resposta: vale a pena assistir a Come From Away? MUITO! Eu chorei, me emocionei e saí do teatro, leve, levíssima. Dê esse presente pra você mesmo e veja esse show sensacional!

Ficou com vontade de assistir ao musical? Então reserve seus ingressos para Come From Away com antecedência e garanta os melhores assentos! Com o WePlann você pode ver seus assentos antes de finalizar a compra.

Quer conhecer outros musicais da Broadway?

Escrito por Natália Grandi, jornalista e tradutora que ama conhecer novas culturas e viajar, seja com os livros ou com a mochila nas costas. É criadora de Conteúdo no WePlann.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *