Nos bastidores da Broadway: tudo sobre os figurinos de Wicked com Amanda Whitman

Vestidos das personagens principais de Wicked, o musical da Broadway. O vestido de Elphaba, preto e brilhante, à esquerda, e de Glinda, azul e cheio de pétalas, à direita.

Vestidos de Elphaba, à esquerda, e Glinda, à direita

Wicked é um dos maiores sucessos da Broadway. Para conhecer melhor este espetáculo que está em cartaz nos palcos de Nova York atualmente, eu conversei com Amanda Whitman, a coordenadora de figurinos do musical. Ela me levou por um tour pelos bastidores e me contou detalhes sobre os figurinos de Wicked!

Placa do estoque de figurinos excedentes de Wicked, em Nova York, que diz "Wicked Surplus, 3rd floor".

Placa do estoque de figurinos excedentes de Wicked, em Nova York

O vídeo a seguir é um resultado dessa conversa, que conta a evolução dos figurinos dos personagens e o que acontece por trás das cortinas em um musical da Broadway (neste post a gente te conta mais sobre a história e a mensagem do musical).

Sobre Amanda Whitman

Amanda Whitman tem várias funções: ela trabalha com a logística das produções de Wicked dos Estados Unidos e as que são montadas em outros países também. Entre outras coisas, ela compra os tecidos e ajuda com a introdução de cada novo artista que é contratado para o show. Ela tira suas medidas, escolhe o que eles vão vestir, decide se é preciso fazer uma nova roupa ou se é possível usar o que eles têm no estoque. Ela encomenda novos sapatos, perucas, etc.

Além disso, ela faz o controle de qualidade das produções para verificar se tudo está de acordo com os padrões. Quando há uma nova montagem da peça fora de Nova York, ela vai até o local para ter certeza de que o novo show é uma representação perfeita do que há na Broadway. Na produção que houve em São Paulo, por exemplo, ela foi até a cidade para fazer esse controle.

Estoque de tecidos para Wicked, na Broadway.

Estoque de tecidos para Wicked

A criação dos figurinos de Wicked, na Broadway

Os figurinos de Wicked foram desenhados por Susan Hilferty mais de 13 anos atrás e não foram alterados desde então. Susan foi a designer de figurino de mais de 300 produções ao redor do mundo, incluindo todas as roupas de Wicked.

Figurinos de Wicked, da Broadway

Figurinos de Wicked, da Broadway

Próteses para atores de Wicked (máscaras aplicadas nos rostos dos atores).

Próteses para atores de Wicked

O estilo dos figurinos de Wicked é uma distorção das roupas usadas na era eduardiana, que compreende os anos 1890 até aproximadamente 1910. “Por ser uma terra que tem mágica, onde animais falam, não é um período cronológico. É um período distorcido. É possível ver ecos de uma era no show inspirado pela época em que o livro O Mágico de Oz foi escrito, no começo do século XX. Mas você vê as distorções nas roupas: uma manga faltando, vestidos assimétricos…”, conta Amanda.

Curiosidades sobre os figurinos de Wicked

  1. O espetáculo da Broadway tem cerca de 250 figurinos, mas o número total de roupas varia de acordo com a produção (visto que há várias produções ao redor do mundo).
  2. A troca de roupa mais rápida de Wicked é feita em 15 segundos e acontece na transição da cena em que Elphaba e Glinda saem da estação de trem e vão para a Cidade Esmeralda, na música “One Short Day”. “Para quem fica nos bastidores vendo tudo isso acontecer, é inacreditável”, diz Amanda.
Figurinos de Wicked, da Broadway, em Nova York.

Figurinos de Wicked, da Broadway.

  1. Em Shiz, a universidade em que Glinda e Elphaba estudam, os alunos usam uniformes, mas eles nunca são iguais uns aos outros. Segundo Amanda, “a ideia por trás disso é que haveria uma loja onde eles poderiam comprar partes das suas roupas e individualizá-las”.
  2. A roupa do espantalho ao final do musical é um uniforme de capitão dos guardas, mas toda destruída. Isso porque este era a roupa que ele usava quando ainda era humano, e é possível ver essa progressão de figurinos no show.

Não esqueça de reservar seus ingressos com antecedência para a sua viagem a Nova York! Compre seus ingressos para Wicked online de forma segura e fácil aqui.

Gostou da entrevista? Tem alguma sugestão de conteúdo para nos dar? Deixe seu comentário abaixo!

Escrito por Natália Grandi, jornalista e tradutora que ama conhecer novas culturas e viajar, seja com os livros ou com a mochila nas costas. É criadora de Conteúdo no WePlann.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *