Tour plus por Chichén Itzá: um encontro com a cultura Maia

O Castelo, Chichén Itzá.

O Castelo, pirâmide principal de Chichén Itzá. (Foto por Alejandra Ramírez).

Chichén Itzá é sem dúvida alguma o ícone por excelência do sudeste do México e não pode ficar fora do seu roteiro se você visita a Riviera Maya ou Cancun em Quintana Roo. É que é mágico ver com os seus próprios olhos o legado que deixou toda uma civilização: construções, tradições, artefatos, gastronomia, lendas e muito mais formam uma cultura impactante e misteriosa que vai te deixar sem palavras. Não é à toa que os maias são os autores de uma das 7 Maravilhas do Mundo Moderno.

Por isso, hoje vou te contar cada detalhe da nossa experiência pela antiga cidade maia; dicas, conselhos, pontos de interesse e atividades que você fará no tour plus por Chichén Itzá. Eu garanto que você aproveitará o monumento histórico ao máximo!

Ônibus de viagem do EKNX TOURS. (Foto por Alejandra Ramírez).

Ônibus de viagem do EKNX TOURS. (Foto por Alejandra Ramírez).

O tour inicia com você sendo buscado no seu hotel. Este tour inclui transporte de ida e volta e passa pela maioria dos hotéis em Cancun e Riviera Maya. Caso o transporte não passe por onde você for se hospedar, você será direcionado ao ponto de encontro mais próximo.

Nos receberam calorosamente quando minhas amigas e eu conhecemos nosso guia, Luis, muito agradável e divertido, devo dizer! Desde que subimos no ônibus ele fez de tudo para que todos os passageiros estivessem cômodos. Além disso, nos deram um delicioso café da manhã e uma sacola de presente.

No caminho para a nossa primeira parada, Luis nos contou os detalhes sobre a história dos maias: suas crenças, a evolução de suas construções, o motivo de seu desaparecimento e sua herança cultural na atualidade. Além disso, todos os passageiros puderam ver e tocar em réplicas de objetos importantes, como um pergaminho com códices maias e utensílios que usavam para fazer oferendas.

Que paradas faz o tour?

Igreja de San Servacio em Valladolid, Yucatán. (Foto por Alejandra Ramírez).

Igreja de San Servacio em Valladolid, Yucatán. (Foto por Alejandra Ramírez).

Nossa primeira parada foi Valladolid, um pitoresco povoado onde você pode conhecer a vida local, ver que todas as casas, lojas, seu parque e sua igreja principal, a de San Servacio. Ela tem um estilo arquitetônico colonial espanhol, prova que a conquista da civilização tem quase 500 anos. Estando lá, não se esqueça de tirar fotos e provar o clássico sorvete de coco, muito típico da região.

Parque principal de Valladolid. Aproveite o tradicional sorvete de coco! (Foto por Alejandra Ramírez).

Parque principal de Valladolid. Aproveite o tradicional sorvete de coco! (Foto por Alejandra Ramírez).

Nossa segunda parada foi em um município chamado Kaua, perto de Valladolid. Lá todos os viajantes puderam ver de perto o artesanato tradicional. Este lugar é perfeito para comprar souvenirs. Você encontrará roupas, joias, objetos de barro e licores. O mais encantador é que o lugar está completamente pintado por murais maias que são muito coloridos e mostram símbolos que eram muito importantes para eles.

Loja de artesanatos em Kaua, Yucatán. (Foto por Alejandra Ramírez).

Loja de artesanatos em Kaua, Yucatán. (Foto por Alejandra Ramírez).

Mural em loja de artesanatos de Kaua, Yucatán. (Foto por Alejandra Ramírez).

Mural em loja de artesanatos de Kaua, Yucatán. (Foto por Alejandra Ramírez).

Já era mais de meio dia quando nos dirigimos à nossa penúltima parada antes de chegar a  Chichén Itzá; recomendo que você planneje com antecedência a sua viagem e tenha em conta certos fatores para aproveitá-la ao máximo – por exemplo, quando nós chegamos à penúltima parada, o calor era de cerca de 34ºC, muito normal para um mês de junho no caribe, mas nem todos os viajantes estavam acostumados a essa temperatura. Neste post nós damos várias sugestões e dados do que você precisa saber antes de visitar a região.

Cenote Ik Kil. (Foto por Alejandra Ramírez).

Cenote Ik Kil. (Foto por Alejandra Ramírez).

Esta penúltima parada foi a visita ao cenote Ik Kil e a hora de almoço. Ao chegar lá você pode escolher o que fazer primeiro. Recomendo muito que você entre primeiro ao cenote, é incrivelmente refrescante! Você aproveitará esse incrível corpo de água natural descendo cerca de 10 metros abaixo da terra, depois te darão um colete salva-vidas (não tire o colete! O cenote tem mais de 35 metros de profundidade) e pronto, você poderá nadar um e se esquecer do calor!

Área exterior do restaurante. Este tour plus inclui um almoço estilo buffet. (Foto por Alejandra Ramírez).

Área exterior do restaurante. Este tour plus inclui um almoço estilo buffet. (Foto por Alejandra Ramírez).

Depois de um bom tempo nadando, estávamos com fome. Nos dirigimos ao restaurante onde um delicioso almoço em estilo buffet nos esperava. Aproveitamos os pratos fortes e as sobremesas típicas da região, várias vezes. No restaurante, você encontrará duas áreas, uma ao ar livre e outra com ar condicionado. Você pode escolher onde comer.

Depois de comer incrivelmente bem, para fechar com chave de ouro, nos dirigimos à nossa última parada, Chichén Itzá. Ao chegar, dividiram o grupo já que alguns fariam o tour em inglês e outros em espanhol. Nos explicaram um pouco da história sobre cada uma das construções, o que significam e sua estrutura perfeitamente pensada. Chegamos ao castelo, a principal pirâmide da zona arqueológica, e então todos nós entendemos por que é uma joia arquitetônica. Garanto que ao estar frente a frente desse antigo templo maia, você vai ficar fascinado com a sua história.

Serpente talhada em pedra em Chichén Itzá. (Foto por Alejandra Ramírez).

Serpente talhada em pedra em Chichén Itzá. (Foto por Alejandra Ramírez).

Luis nos contou todo o mistério sobre a importância dos quetzais para os maias, essa incrível ave que é considerada a mais bela para diversos grupos ecológicos. Ela simbolizava riqueza e fertilidade para a civilização antiga – e é por isso que o fenômeno que acontece se você fica em frente à pirâmide principal é realmente incrível. Se você parar logo em frente à pirâmide e bater uma palma, ao fazê-lo, a acústica e distorção do som imitam o belo canto de um quetzal. Ao escutar, ficamos boquiabertos. Luis comentou que esse fenômeno é o resultado do avançado conhecimento matemático que tinham os maias.

Templo dos Guerreiros, Chichén Itzá. (Foto por Alejandra Ramírez).

Templo dos Guerreiros, Chichén Itzá. (Foto por Alejandra Ramírez).

Seguimos avançando e conhecemos os detalhes de cada construção como o jogo de bola, o templo dos guerreiros, o templo do jaguar e mais. Ao terminar a visita guiada, tivemos tempo livre para seguir percorrendo a zona arqueológica, tirar algumas fotos e comprar souvenirs dos vendedores locais. Depois desse tempo, nos reunimos no ônibus para voltar a Cancun. Este tour plus também incluiu bebidas para a viagem de retorno, com ou sem álcool, o que foi muito cômodo. Depois de algumas horas, já estávamos de volta ao hotel.

Essa experiência te permite conhecer a fundo a cultura maia, desde seus passado há quase 500 anos até o presente. Todos os viajantes ficaram fascinados com cada parada ou ponto de interesse. Além disso, aproveitamos toda a comodidade que um tour plus pode oferecer, 100% recomendável e inesquecível! Se visita a Riviera Maia, não perca a oportunidade de visitar uma das 7 maravilhas do mundo moderno – e o melhor de tudo, você pode fazê-lo da forma mais cômoda, segura e VIP, só com o WePlann!

Tem alguma dúvida? Deixe seu comentário!

Escrito por Alejandra Ramírez. Traduzido por .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *