Wicked: o outro lado de Oz e uma mensagem atemporal

A imagem mostra Elphaba, a Bruxa Malvada do Oeste do musical Wicked, rodeada de alunos de Shiz, que dançam à sua volta

Nós estamos acostumados com um mundo que classifica as pessoas como boas ou ruins. Na história de ‘O Mágico de Oz’, a Bruxa Malvada do Leste e a Bruxa Malvada do Oeste foram consideradas como o grande problema da Terra de Oz. Quando a Bruxa Malvada do Leste morre no filme, inclusive, os habitantes da cidade cantam a famosa música ‘Ding Dong the Witch is Dead’, celebrando sua morte. Wicked: A História Não Contada das Bruxas de Oz da Broadway, como sugere o nome, conta o outro lado da história de Oz: será que as bruxas eram realmente más?

A história

O musical é baseado no romance homônimo de Gregory Maguire, que é uma reimaginação da história da Terra de Oz. Essa terra mágica foi criada em ‘O Mágico de Oz’, livro de L. Frank Baum que virou filme em 1939. Enquanto a trama original é contada a partir da perspectiva de Dorothy, Wicked é contado pela perspectiva das bruxas más, em especial da Bruxa Malvada do Oeste, que ganhou o nome de Elphaba no livro.

Cena do musical Wicked da Broadway em que Elphaba, a Bruxa Malvada do Oeste, faz magia

Elphaba, a Bruxa Malvada do Oeste

O musical mostra uma outra versão do que aconteceu em Oz, muito antes de Dorothy aparecer. Elphaba, uma jovem de pele verde cor de esmeralda, é inteligente e tem um talento sem igual. No entanto, é incompreendida por todos, que a julgam pela cor da sua pele. Quando ela conhece Galinda (que passa a ser conhecida como Glinda), uma loira super popular, ela se vê frente a frente com alguém que é o seu oposto. Apesar da inicial rivalidade e ódio que uma tem pela outra quando se conhecem na Universidade de Shiz, elas desenvolvem uma amizade muito forte e totalmente inesperada.

Após um encontro com o Mágico de Oz, elas se veem obrigadas a tomar uma decisão. Enquanto Glinda está determinada a se manter popular, Elphaba não quer trair seus valores morais. Inevitavelmente, suas vidas tomam rumos muito diferentes, culminando em Glinda receber o título de ‘A Boa’, e Elphaba, o de ‘Bruxa Malvada do Oeste’.

A mensagem

Como é bom ver as coisas por uma outra perspectiva, não é? Perceber que as coisas que nós julgamos como ruins não eram exatamente como nós achamos que eram. Esse é o motivo principal pelo qual eu recomendo Wicked: a construção da história e a mensagem que ela passa é atemporal e importantíssima! Estes são alguns dos temas abordados:

  •  Bullying: um tema proeminente em Wicked, que mostra como ser alvo de preconceito pode afetar uma pessoa e seu modo de agir, e como a sociedade pode ser cruel ao valorizar imagens em detrimento de boas intenções. Elphaba, por ter a pele verde, era menosprezada e taxada como estranha. Aos poucos, ela percebe seu verdadeiro poder e que o que importa realmente não é sua aparência, mas sim a essência.
Alunos da Universidade de Shiz dançam e cantam em cena do musical Wicked

Alunos de Shiz

  • Amizade e união de mulheres: Wicked passa uma mensagem que tem tudo a ver com a época que estamos vivendo, em tempos de lutas por direitos iguais entre homens e mulheres. De acordo com o senso comum, Glinda e Elphaba têm vários motivos para se odiarem; mas elas mostram que o relacionamento verdadeiro está acima de tudo e pode superar qualquer tipo de preconceito e imposição social.
  • Empatia: que mensagem importante nos dias de hoje! Wicked mostra que houve uma explicação para tudo que as ‘bruxas más’ fizeram e que há muito mais em cada pessoa do que os olhos podem ver. Em músicas como ‘March of the Witch Hunters’, os moradores de Oz dizem que ‘a maldade deve ser punida, o mal efetivamente eliminado’, mas a história mostra que quem julgou não entendeu o que realmente aconteceu.

Glinda e Elphaba chegam à Cidade Esmeralda no musical Wicked, da Broadway

Premiações e reconhecimentos

Wicked é uma escolha certeira para quem vai assistir a um musical na Broadway. Segundo o New York Times, é ‘o musical que definiu sua década‘; para a Time Magazine, ‘se todo musical tivesse o cérebro, o coração e a coragem de Wicked, a Broadway realmente seria um lugar mágico’; para a revista Variety, é um ‘fenômeno cultural‘.

O musical foi nominado para diversos prêmios e venceu vários deles, incluindo 3 Tony Awards por Melhor Atriz de Musical, Melhor Design Cênico e Melhor Design de Figurino e 1 Grammy pelo Melhor Álbum de Show Musical nos Estados Unidos. Ele recebeu também prêmios nos outros países em quais houve produções locais, incluindo o Brasil!

As músicas e letras foram compostas por Stephen Schwartz, que tem uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood, venceu 3 Academy Awards e 4 Grammys, além de ser coautor das músicas de filmes como ‘Pocahontas’, ‘Encantada’ e ‘O Corcunda de Notre Dame’. Confira a trilha sonora de Wicked:

3 motivos para assistir a Wicked

Wicked está em cartaz na Broadway desde 2003! E não é à toa que o musical fez tanto sucesso. Além do que eu já citei acima, tenho 3 outros bons motivos para você assisti-lo:

1. Figurino e cenário

Ao centro da imagem está Glinda, com um vestido azul, dentro de uma espécie de arco de metal. Ela carrega uma varinha.

Glinda, A Boa

É um musical lindo de se ver. O figurino é maravilhoso, muito bem elaborado e cheio de detalhes que demonstram o momento psicológico de cada personagem. O cenário também é incrível, e o mais legal é ver como esses dois fatores estão sempre entrelaçados. Prestando atenção, é possível ver como várias equipes diferentes, entre elas a equipe de cenário, figurino, iluminação e projeção, trabalharam juntas para criar um musical harmonioso.

2. Defying Gravity

Você quer conhecer a Broadway de verdade? Wicked tem uma das cenas mais marcantes de todos os tempos na história dos musicais. A música ‘Defying Gravity’, cantada por Elphaba, ficou conhecida na voz de Idina Menzel, a primeira atriz que interpretou o papel da Bruxa Malvada do Oeste. A música é arrepiante e mostra como alguém que sempre esteve na posição de vítima pode mudar sua situação e tomar as rédeas da sua vida.

3. Humor

Em geral, nós temos a tendência a achar que musicais clássicos são super sérios. Mas não é o caso de Wicked! Ele tem várias cenas engraçadas que se utilizam de arquétipos para questionar o status quo.

Para quem o show é recomendado?

Para todas as idades! A idade mínima para entrar no teatro é 5 anos e as crianças também devem ter um ingresso. Os mais velhos vão adorar Wicked porque é a reinterpretação de um clássico do cinema e da literatura. Os mais novos, mesmo que não conheçam a história original de ‘O Mágico de Oz’, vão amar pelos motivos mencionados acima, tais como cenários e figurinos incríveis, sua mensagem e músicas marcantes. Inclusive, quem é fã de Glee, com certeza já ouviu algumas das músicas em diferentes episódios da série!

Se quiser saber mais, você pode ler este outro post sobre o musical. Se estiver com viagem marcada para Nova York, não se esqueça de reservar seus ingressos com antecedência. É a única forma de garantir bons assentos e a melhor experiência possível!

Já assistiu a Wicked? Ficou com vontade? Deixe seu comentário abaixo!

Escrito por Natália Grandi, jornalista e tradutora que ama conhecer novas culturas e viajar, seja com os livros ou com a mochila nas costas. É criadora de Conteúdo no WePlann.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *